Devido à grande propagação de aparelhos eletrônicos, como os smartphones e tablets, tem se tornado uma tendência instalar a tomada USB nas residências mais modernas. Apesar desse tipo de plugue estar se tornando popular, muitas pessoas ainda desconhecem os benefícios que ele oferece.

Como o USB se tornou um padrão no mercado, é difícil encontrar uma pessoa conectada à Internet que não tenha algum dispositivo eletrônico que apresente esse tipo de conexão. Além disso, com a crescente popularização da automatização residencial, esse plugue promete revolucionar as instalações elétricas nos imóveis de qualidade.

Por tudo isso, as tomadas USB são uma tecnologia que veio para ficar, que proporciona mais praticidade ao dia a dia das pessoas. Como esse assunto é novo para muitos, preparamos este artigo para explicar o que são as tomadas USB, como funcionam e quais suas vantagens. Continue a leitura e descubra se vale a pena investir nessa novidade!

O que é uma tomada USB?

Lançado em 1995, o USB — sigla do termo “universal serial bus”, que pode ser traduzido como “porta universal” — é uma tecnologia que foi criada para facilitar a conexão de dispositivos periféricos nos computadores. Com o passar do tempo, surgiram diversos aparelhos que utilizam esse padrão, seja para enviar ou armazenar dados ou para carregar a sua bateria.

Assim, como é de se esperar, uma tomada USB é um tipo de conexão ligada diretamente à rede elétrica que permite aos diversos aparelhos que utilizam esse padrão serem carregados sem a necessidade do uso de adaptadores. Dessa forma, esse modelo de tomada proporciona mais praticidade aos usuários da edificação que contam com essa conexão.

Além do plugue de entrada, a tomada USB consegue oferecer uma voltagem bivolt — bem diferente das tradicionais, que apresentam um único tipo de voltagem (127V ou 220V). Isso facilita ainda mais a vida de quem viaja muito, pois não será preciso de adaptadores para utilizar os seus equipamentos eletrônicos.

Como as tomadas USB funcionam?

Basicamente, seu funcionamento é semelhante ao de uma convencional. Ao olhar de um leigo, a principal diferença entre os dois modelos é em relação ao plugue de conexão. Contudo, dependendo do tipo, a tomada USB pode apresentar mais de uma entrada, o que permite o carregamento simultâneo de mais de um aparelho eletrônico.

Além disso, a tomada USB permite que o dispositivo seja carregado mais rapidamente do que ele seria caso utilizasse uma convencional. Isso se deve a um simples detalhe: a amperagem da corrente utilizada. Enquanto um carregador convencional opera com 1,0 A (1000 mA), uma tomada USB usa uma corrente elétrica de 1,5 A (1500 mA).

Outro fator fundamental é o seu tipo de corrente. Uma tomada convencional utiliza a corrente alternada — em contrapartida, a de USB emprega o sistema de corrente contínua, que traz as vantagens de ser mais eficiente, econômico e barato. Veremos mais sobre isso a seguir.

Quais são as vantagens das tomadas USB?

Atualmente, é difícil imaginar a vida sem a presença constante de um smartphone, não é mesmo? Além disso, existem diversos outros aparelhos eletrônicos que utilizam a entrada USB como fonte de energia para o seu carregamento. Assim, é extremamente vantajoso ter uma tomada desse tipo próxima à cabeceira da cama ou em um lugar estratégico da sala.

Além de proporcionar mais praticidade no dia a dia, a tomada USB promete carregar os dispositivos com uma velocidade 75% superior, comparado ao carregamento estando conectado a um computador. Em outras palavras, isso proporciona uma recarga mais eficiente. Devido ao uso do sistema de corrente contínua, consome-se menos energia elétrica, que significa economia na conta de luz.

Outro ponto positivo é que, enquanto as tomadas convencionais normalmente apresentam apenas um plugue de entrada, as de USB costumam ser encontradas com, pelo menos, duas entradas. Por ser bivolt, não existe a preocupação se o aparelho poderá ser conectado em determinado plugue — com isso, qualquer tomada do imóvel pode ser substituída por uma com USB.

Por fim, a tomada USB proporciona mais comodidade ao dia a dia. Afinal, não será mais preciso ter um carregador, o que diminui a quantidade de acessórios que se precisa carregar. Com isso, basta ter o cabo, que é leve e pode ser transportado para qualquer lugar com facilidade.

Como a tomada USB favorece a automação residencial?

Hoje, podemos notar que estão surgindo no mercado diversas tecnologias com a proposta de deixar o dia a dia das pessoas mais práticos. Isso também acontece com as residências. Por meio do conceito da automação residencial, é possível integrar os diversos aparelhos de um lar com o mundo digital, com o intuito de proporcionar mais praticidade e comodidade à rotina dos moradores.

Com isso, muitas das atividades rotineiras são automatizadas, podendo até mesmo ser controladas à distância, desde que o local tenha acesso à Internet. Sendo assim, residências que tenham tomadas USB instaladas estão completamente adequadas a receber essa tecnologia. Afinal, as instalações elétricas do imóvel farão parte de um sistema de automação completo.

Afinal, vale a pena ter esse tipo de tomada?

Com a dependência crescente que as pessoas têm dos aparelhos eletrônicos, existem grandes benefícios para os moradores de uma residência que tenha tomadas USB no quarto. Afinal, esse tipo de conexão tem muito a oferecer aos seus usuários.

É fato que a facilidade com que o morador terá para carregar os seus eletroeletrônicos proporciona mais praticidade e comodidade ao seu dia a dia. Além disso, as tomadas USB são mais eficientes no carregamentos dos dispositivos, o que gera uma economia em energia elétrica. Sendo assim, ter esse tipo de conexão em seu lar é algo bastante vantajoso.

Como é possível perceber, apesar de ainda ser uma solução desconhecida para muitos brasileiros, existe uma tendência de que haja a popularização do uso da tomada USB. Afinal, esse tipo de conexão oferece diversas vantagens ao morador de uma residência, ainda mais quando existe o desejo de automatizá-la.

Se você tem interesse por esse assunto, veja também as 9 dicas de como escolher um apartamento de qualidade