Os altos índices de criminalidade no Brasil fazem da segurança a principal preocupação de quem busca um imóvel. A vulnerabilidade das ruas aumenta o desejo por manter a sensação de segurança pelo menos dentro do próprio lar. A realidade, hoje, é que as pessoas têm analisado diversos fatores e acabam optando por condomínios, que têm acesso controlado e recursos de vigilância inclusos no valor da taxa condominial. Mas como avaliar a segurança do condomínio?

Se você pretende se mudar para um local mais seguro, é essencial entender os riscos inerentes a esse tipo de moradia e como avaliar se, de fato, os profissionais são treinados e há bom aparato de vigilância. Quer saber mais sobre o assunto e garantir uma mudança tranquila, segura e sem arrependimentos? Continue a leitura deste post e faça a melhor escolha para você e sua família!

A segurança do bairro

Embora esse não seja propriamente um fator a ser avaliado no condomínio, é um aspecto muito importante para a segurança como um todo. Antes de escolher um imóvel, portanto, é essencial que você analise como é a segurança do bairro.

Para fazer isso, você pode realizar pesquisas sobre os índices de criminalidade e os últimos acontecimentos da região. Outra forma de avaliar a tranquilidade do local é visitando o bairro e o empreendimento em horas diferentes do dia. Isso mostra se as ruas são bem iluminadas, se há circulação de pessoas, se existem muitos locais ermos e se o policiamento é constante. É por conta desses fatores que, hoje, muitos optam por morar no interior.

Você pode, ainda, conversar com os moradores das outras unidades ou de imóveis próximos para conferir as impressões que eles têm do bairro. Se você notar alguma insegurança, fique de olho.

O controle de acesso

Um dos problemas que mais afeta a vulnerabilidade dos moradores de um condomínio é a falha no controle de acesso de pessoas no interior do empreendimento. Se não há identificação de moradores e a entrada é livre, as chances de acontecerem invasões, assaltos e roubos são muito maiores.

Na hora de escolher um condomínio, verifique junto ao síndico, à imobiliária e aos outros moradores como é feito o controle de entrada e saída no prédio. O ideal é que exista uma portaria 24 horas com profissionais treinados. Eles podem intermediar entregas, visitas ou outras presenças que nem sempre são esperadas.

Porteiros experientes conhecem os condôminos e conseguem intervir no caso de alguém tentar acessar o interior do prédio sem autorização. Esse controle também deve acontecer na entrada e na saída de veículos. Câmeras de segurança são itens essenciais para o monitoramento e a vigilância de possíveis invasores.

A tecnologia em favor da segurança

Já que estamos falando de controle de acesso, é imprescindível o uso da tecnologia como artefato de segurança. Além do monitoramento constante, o ideal é que somente os moradores consigam abrir as portas principais e o portão de garagem.

Isso pode acontecer com senhas, identificações biométricas, tags ou controles remotos. Já existem versões de controles codificados e à prova de cópias ou clonagens. Alguns condomínios de apartamentos de alto padrão ainda contam com uma equipe de segurança remota, que faz a identificação facial de quem tenta entrar no condomínio.

O monitoramento por câmeras

Na hora de visitar o condomínio, pergunte ao corretor sobre a existência de câmeras de segurança. Você também pode andar pelo espaço para identificar a presença delas, principalmente nos locais mais propensos à entrada de estranhos — perto de muros e portões.

Além disso, veja quem controla essas imagens e se existem pessoas observando 24 horas por dia a movimentação do prédio. Devem ser profissionais capacitados para identificar ações suspeitas e saber como agir no caso de algum imprevisto.

Alguns condomínios ainda disponibilizam as imagens em tempo real para os moradores, via internet. Isso permite que todos acompanhem, via smartphone, uma entrega ou a chegada de uma visita, por exemplo.

O treinamento dos profissionais

Embora a escolha por morar em apartamento se deva muito à existência dos porteiros, muitos se esquecem desse detalhe na hora de avaliar a segurança do condomínio, mas devemos lembrar que nenhum dispositivo ou tecnologia existe sem a presença de profissionais capacitados por trás dele. Podem ser contratados pelo empreendimento ou de uma empresa terceirizada, não importa: os profissionais devem ser experientes nas funções que desempenham.

Verifique se essas pessoas passam por treinamentos e capacitações constantemente e se elas têm boas referências no currículo. Além de ser essencial, é um dever que consta na legislação brasileira.

Procure analisar também se os profissionais abandonam os postos ou se são recrutados para outras funções. Um porteiro que deixa a portaria para realizar serviços de zeladoria ou algo particular para um condômino, por exemplo, pode colocar a segurança de todos em risco.

A manutenção preventiva

Quando falamos de segurança, costumamos pensar em assaltos ou ações de terceiros, mas a tranquilidade está além disso. O condomínio deve manter suas instalações de forma que não sejam uma ameaça à integridade física dos profissionais e dos moradores. Portanto, verifique se existe sistema de prevenção contra incêndios, como extintores, instalações seguras de gás e escadas com porta antifogo.

Não avalie somente a estruturas das unidades habitacionais, mas as áreas comuns como churrasqueiras, salões de festas, bicicletários, playgrounds e garagens. Verifique ainda se os elevadores passam por avaliações periódicas e se elas são realizadas por empresas responsáveis e com experiência no ramo.

Ainda é necessário que o condomínio adote uma política rígida de segurança, impedindo que crianças circulem pelas garagens, multando moradores que coloquem a segurança dos outros em risco e utilizando produtos químicos de forma responsável.

Procure saber quais são os procedimentos adotados em casos extremos e se há treinamentos para moradores e profissionais. Dessa forma fica mais fácil garantir uma vida mais tranquila para todos.

Escolher um imóvel para morar deve ser algo pensado, analisado e muito bem planejado. Não se esqueça de que uma boa escolha pode impactar diretamente no seu estilo de vida, na rotina dos seus familiares e na qualidade de vida que você pretende ter na nova casa.

Ficou com alguma dúvida a respeito da avaliação da segurança do condomínio? Tem alguma experiência ou dica sobre o assunto para compartilhar conosco? Então, deixe um comentário neste post!